Cirurgia da Coluna

Atualmente, para cada tipo de problema associado à coluna vertebral existem uma série de tratamentos. A cada ano, surgem técnicas novas de intervenção, que também vão evoluindo ao longo do tempo. E elas podem ser clínicas, fisioterápicas ou invasivas.

A coluna vertebral é uma das partes mais importantes da nossa estrutura corporal, formada por 33 vértebras ligadas a diversas articulações. Trata-se de uma estrutura bastante delicada, que muitas vezes, é ignorada pela maioria das pessoas.

As principais doenças degenerativas da coluna são as seguintes: a hérnia de disco (mais conhecida, inclusive), bico de papagaio, canal estreito, escoliose degenerativa, protrusão de disco, cifose, espondilolistese e a protrusão de disco. Existem ainda outras, e cada uma possui uma forma diferente de abordagem.

Como dito anteriormente, as cirurgias da coluna podem ser feitas de várias formas, com duas abordagens principais:

  • Cirurgia minimamente invasiva da coluna (técnicas sem agressão ao corpo do paciente);
  • Cirurgia tradicional (maior agressão ao corpo).

Esta última, é usada há muito tempo. É um procedimento invasivo, com sérios riscos ao paciente. A possibilidade de cirurgia sempre deve ser amplamente discutida por um médico cirurgião e um ortopedista especialista no assunto.

Vale salientar que a cirurgia deve ser utilizada em último caso no tratamento de doenças, lesões ou deformidades. Ou seja, quando os métodos convencionais clínicos não funcionaram.

Como são feitas as cirurgias da coluna?

Atualmente, com os métodos minimamente invasivos, é habitual que o procedimento leve entre 40 minutos a 1 hora, e o paciente receba alta no mesmo dia, algumas horas após o procedimento.

A cirurgia pode ser feita por videoendoscopia (com apoio de vídeo), nucleologia ou cirurgia percutânea (por agulhas), fixação ou estabilização dinâmica da coluna lombar (inserção de implantes), radiofrequência, vertebroplastia (técnica que injeta cimento ósseo) e as convencionais (com cortes maiores e técnicas mais invasivas).

Por fim, vale salientar que não existem contraindicações para a realização da cirurgia, mas é interessante lembrar que ela deve ser utilizada apenas em último caso, quando não houver mais possibilidade de recuperação por meio de outros tratamentos!

O Ortopedista especialista em cirurgia minimamente invasiva da coluna em Alphaville
Ortopedista especialista em cirurgia de escoliose em Alphaville