Cirurgia Minimamente invasiva para hérnia discal

A hérnia de disco é uma lesão que ocorre com mais frequência na região lombar. Ela provoca, entre outros sintomas, dores fortes nas costas, além de alterações de sensibilidade na coxa, perna e pé. Ela não tem cura.

A cirurgia para hérnia discal é indicada em casos onde não houve melhora dos sintomas à base de remédios e fisioterapia. Ou ainda quando o paciente apresenta quadros de perda de força e sensibilidade. Isto porque todo o procedimento envolve alguns riscos, como infecções ou limitações de movimentação da coluna.

Assim, o tipo de cirurgia varia de acordo com o local da hérnia, com as técnicas disponíveis e as necessidades individuais de cada paciente. A cirurgia minimamente invasiva é aquela que causa menos danos corporais, além de proporcionar um pós operatório mais rápido, sem a necessidade de grandes internações.

Cirurgia minimamente invasiva para hérnia discal

Como dito anteriormente, além de promover a menor necessidade de internação, a cirurgia minimamente invasiva possui um tempo mais rápido de execução, além de um menor risco de complicações, como sangramento e infecções. Entre os principais tipos de acesso dessa técnica para hérnia discal estão:

  • Cirurgia endoscópica: técnica que conta com a inserção de pequenas incisões na pele, com recuperação mais rápida e menor dor pós operatória;
  • Microcirurgias: todo procedimento é feito através de um microscópio cirúrgico, exigindo uma menor abertura na pele ( cirurgia percutânea).

No geral, ela é realizada com anestesia local e sedação, com duração aproximada de 1 hora. Por mais que o acesso quase não cause problemas, ela apresenta sim alguns riscos, que incluem:

  • Infecção;
  • Lesão nos nervos ao redor do local afetado;
  • Persistência da dor;
  • Dificuldade de movimentação.

Assim, recomenda-se essa cirurgia para aquelas pessoas que têm sintomas insuportáveis, e que não obtiveram melhora com outras formas de tratamento.

Quer saber mais? Entre em contato com o Dr. Fabiano Fonseca!